Minha experiência no Japão

Oi pessoal, tudo bem com vocês? Esse é oficialmente o último post sobre a minha viagem para o Japão (ok, que já estamos em julho e eu voltei em março hahaha) dei uma atrasada mas aqui está o meu resumão da viagem. Acho que eu não fui muito clara no meu post sobre como eu fui para o Japão, o que eu realmente fui fazer, se eu fui para estudar ou trabalhar, como eu recebi algumas dúvidas por inbox, comentários no Youtube e mensagens então eu resolvi compartilhar toda a minha experiência com vocês por aqui. A primeira coisa que você precisa saber é que a viagem é realmente muito longa! Eu ouvia as pessoas dizendo que a viagem por si só era muito cansativa, mas acho que pela ansiedade o tempo (que já é bem longo) passou hiper devagar. Saí de São Paulo 00h e pouco do dia 3 e cheguei no Japão 13h do dia 5 (claro que no meio disso tudo eu não lembro exatamente o horário dos fusos, mas a viagem foi longa!) Sei que no primeiro voo, de São Paulo à Abu Dhabi, onde eu faria conexão para Narita, eu vi o nascer e o pôr do sol. E claro, quando vi o Monte Fuji da janela do avião fiquei empolgadíssima, afinal, não é todo dia que isso acontece, né? 😀   Bom, eu fui para o Japão fazer Arubaito, que nada mais é do que um trabalho temporário. Trabalhei na fábrica da Chateraisé, uma famosa rede de loja de doces e sobremesas do Japão. Lá, eu basicamente decorava os bolinhos que eram vendidos nas lojas.
A jornada de trabalho é extremamente exaustiva, eu trabalhei 65 dias, somando 520 horas no total, fora as 128 horas extras. Ou seja, é muuuito trabalho! Mas claro que foi graças ao trabalho suado que o salário compensou tanto, e só assim eu consegui viver lá durante esses três meses. Não vou dizer que é tudo mil maravilhas, a experiência é inexplicável. Eu fui com a mente muito aberta e esperando sempre pelo pior (não por ser pessimista haha) mas só para não colocar tanta expectativa e depois ficar frustrada. No final de todos os dias de trabalho eu via o quanto conseguia superar esse “desafio” e achava realmente muito gratificante. Aqui vão algumas das fotinhos dos doces da loja perto de casa.    Eu fui pela agência Pipoll Travel, que pra mim foi muito eficiente. Eu fui fechar a viagem no final de junho começo de julho de 2016 e toda a documentação e preparação para o visto, etc foi a agência quem cuidou, por isso não sei dar muito detalhes nessa parte, então se você tem interesse, entre em contato com a agência porque eles vão saber explicar melhor.O mais cômodo de ir por agência é que eu não tive que correr atrás de praticamente nada (além da documentação para o visto) e eu já saí do Brasil sabendo o lugar que iria trabalhar, o lugar que iria morar e com quem iria morar. Essa foto aí em cima já apareceu por aqui, no primeiro post do Japão, se não me engano. Ela é muuuito especial pra mim porque é a única foto boa que eu tirei do meu quarto de lá. Antes de ir eu fiquei preocupada com várias coisas, então se você pensa em fazer arubaito aqui vão algumas dicas úteis:

  • Programe-se: É muito importante que você se programe para fazer esse tipo de viagem, eu fui para a agência com quase 5 meses de antecedência, pode parecer muito tempo mas não é quase nada porque você precisa de tempo por causa de visto que pode atrasar, documentação que pode demorar, dólar que pode aumentar e muitos outros fatores que são imprevisíveis.
  • Pesquise: Antes de fechar com a agência, procure uma que atenda todas as suas necessidades, eu fui com essa por indicação, a minha experiência no geral foi boa, mas existem casos e casos. Então antes de fechar a viagem, pesquise.
  • O Clima: Eu fui em dezembro, que é inverno, então uma das minhas grandes preocupações era comprar roupa de inverno pesado aqui no Brasil, mas sinceramente acho que não vale muito a pena levar daqui. Eu levei o básico de frio e comprei casacos mais pesados por lá mesmo.
  • Controle de gastos: Uma coisa que me ajudou a me manter menos consumista por lá foi anotar gastos em um caderno e guardar as notinhas. Quanto menos você gastar em besteirinhas mais vai sobrar pras viagens. (sério!!) Também é legal você dar uma pesquisada em custos de transporte, comidas, tudo o que for básico para você saber quanto pode gastar por semana ou mês.
  • Planeje-se: Eu saí do Brasil com uma listinha de lugares que gostaria de conhecer, eletrônicos que gostaria de comprar e coisas que eu gostaria de fazer. Isso me ajudou muito principalmente na lista de compras porque me fez desistir de muitas compras por impulso.
  • Aproveite tudo!: Pode parecer um conselho bem clichê mas é verdade, viu! Como você passa a maior parte do tempo trabalhando, tente aproveitar até no momento do trabalho, porque o tempo passa muito rápido e quando você menos espera o arubaito já acabou. Então aproveite tudo o que puder.

E eu acho que é isso, se eu me lembrar de mais alguma coisa eu edito esse post. Agora vou deixar o vídeo que eu já assisti um milhão de vezes só para relembrar meus melhores momentos no Japão. Espero que vocês gostem e se quiserem um vídeo do meu scrapbook deixem nos comentários que eu gravo pra vocês.

XOXO

Anúncios

Um comentário sobre “Minha experiência no Japão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s